Capa Matérias 

Entrevista com Dra. Fernanda Hottle

Viver: Dra. Fernanda, hoje você é a advogada número 1 da nossa comunidade. Olhando para trás, você imaginava que alcançaria esse sucesso em tão pouco tempo?

Dra. Fernanda: Eu fico muito feliz ao olhar para trás e ver os bons frutos do meu trabalho e o reconhecimento da comunidade. O meu foco sempre foi o de fazer um bom trabalho como advogada e fazer a diferença na vida das pessoas que ajudo. Eu penso que o sucesso é uma consequência da sua dedicação e do seu interesse em sempre dar o seu melhor, e ter o meu nome reconhecido pelo trabalho que faço é a melhor recompensa que eu poderia ter. 

V: Em algum momento você teve dúvidas ao escolher a Imigração como a sua principal especialidade na advocacia?

DF: Nunca. A escolha foi o resultado da minha própria experiência como imigrante e de ter observado a carência da comunidade em ter um profissional qualificado que falasse o português. Sempre considerei muito importante poder falar diretamente com o cliente sem a necessidade de intérpretes, e isso é algo que meus clientes sempre mencionam – poder discutir os seus problemas jurídicos diretamente com o advogado em português faz toda a diferença.

V: Eu imagino que o seu sentimento de realização ao conseguir solucionar os problemas e resolver a situação imigratória dos seus clientes seja algo tremendo. Mas ao mesmo tempo, quando é impossível resolver, quando você não tem mais armas para lutar e vê que não existe mais saída, deve ser muito frustrante. Você poderia falar um pouco sobre esses sentimentos?

DF: Não há como descrever a satisfação de ver o brilho no olhar dos clientes ou as lágrimas de alegria quando os ajudamos com a sua legalização. Já tivemos casos de pessoas que haviam perdido completamente a esperança depois de consultarem vários advogados e serem informados que nada poderia ser feito para ajudá-las, mas que felizmente decidiram tentar mais uma vez e vieram falar conosco – e hoje são residentes permanentes ou cidadãos americanos após terem recebido a nossa ajuda! Também é muito satisfatório ver clientes retornando para completar etapas adicionais do seu processo conosco, ou recomendando parentes e amigos. Infelizmente, não é possível ajudar a todos. Algumas áreas das leis de imigração são extremamente rigorosas, resultando na total impossibilidade de regularização devido a certos erros cometidos no passado, seja pelo próprio indivíduo ou por alguém tentando “ajudar.”  E nós vemos um número maior do que gostaríamos de casos em que não há mais nada que possamos fazer quando a pessoa vem consultar conosco. Isso é muito frustrante, mas faz parte do nosso trabalho e temos que aprender a compartimentalizar e nos concentrar naqueles casos em que podemos fazer a diferença.

V: Depois de todos esses anos, ouvindo promessas e controvérsias, vendo a chegada de novas medidas provisórias e emendas, deportações e retrocessos, você acredita que ainda haverá uma reforma imigratória durante esse governo, ou pelo menos uma mudança relevante nas leis imigratórias?

DF: A nossa esperança é sempre essa. Porém, não importa o quanto um candidato prometa durante a sua campanha ou tenha boas intenções após ser eleito, a realidade é que nenhum presidente pode realizar mudanças significativas sem o apoio do Congresso. E atualmente, com o avanço das redes sociais, há uma divulgação muito mais rápida de informações – que muitas das vezes são incorretas, – e todo mundo tem uma opinião a respeito de tudo, o que coloca mais pressão sobre os políticos em querer manter as graças de seus constituintes para garantir a sua reeleição. Com isso, questões mais polêmicas como imigração acabam ficando mais difíceis de serem resolvidas. Mas a necessidade de mudanças significativas no contexto imigratório é enorme, e é importante mantermos a pressão sobre o governo para atuar o quanto antes.

V: Existe ainda entre os imigrantes muita falta de informação a respeito dos seus direitos? Ou seja, quando eles fazem a primeira consulta com você, eles na maioria das vezes já sabem quais alternativas eles têm ou chegam sem saber direito se existe alguma saída para o seu caso?

DF: Hoje em dia há uma facilidade maior de se obter informações online. Porém, essa facilidade acaba dando a certos indivíduos a falsa ideia de que eles sabem o que é necessário para resolver o seu caso. Algumas pessoas ligam para o nosso escritório dizendo, “eu já pesquisei e sei o que precisa ser feito no meu caso, e só quero que você me diga quanto cobraria para me representar.” Lamento dizer, mas essas pessoas não têm a menor noção, e geralmente elas são as mesmas que ligam meses ou anos depois pedindo ajuda para consertar problemas no seu processo que poderiam ter sido evitados desde o início se elas tivessem buscado a ajuda de um profissional qualificado. Ainda existe uma falsa noção de que imigração é fácil porque boa parte dos benefícios são solicitados através de formulários, então as pessoas acreditam que basta preencher o formulário e pronto. Imigração envolve muito mais do que isso! Antes de chegar nos formulários e até mesmo determinar quais formulários precisam ser apresentados aos órgãos governamentais, é necessária a avaliação do histórico imigratório da pessoa. Em geral, na área imigratória, não há prescrição de prazos – ou seja, o fato de muitos anos já terem passado não quer dizer que a imigração não irá considerar certos eventos, como a presença ilegal no país ou a condenação por um crime. E mesmo quando a pessoa está legal no país, ainda precisamos considerar como a pessoa alcançou aquela legalização. Às vezes a própria imigração comete erros na aprovação de certos benefícios, mas o fato do erro ter sido deles não quer dizer que eles irão ignorá-lo quando eles se dão conta do mesmo. Então, embora o acesso à informação seja bem maior agora – inclusive com a presença de advogados nas redes sociais proporcionando informações ao público – isso não substitui a necessidade de uma consulta direta para determinar o que está disponível para aquele indivíduo de acordo com o seu histórico. As informações nas redes sociais são generalizadas e não se aplicam a todos.  

V: O que torna o trabalho de um advogado de imigração mais difícil?

DF:  Um fator certamente é a quantidade de mudanças que ocorrem no contexto imigratório, o que pode mudar completamente o desfecho de um processo ou conselho dado. Já houve situações em que eu terminei uma consulta oferecendo um conselho específico, e literalmente 10 minutos depois eu tive que entrar em contato com a pessoa novamente porque uma decisão judicial que saiu naquele momento teria mudado o curso do processo dela. Estamos passando por um momento da história do país em que imigração é um tópico intenso, há políticas imigratórias diversas sendo apresentadas pelo governo e rebatidas judicialmente, embargos sendo levantados e derrubados em questões de dias…. enfim, há muito acontecendo e nós temos que manter vigilância constante para não darmos conselhos errados. Além disso, ainda temos que lidar com uma quantidade enorme de indivíduos no mercado que oferecem serviços de imigração sem terem a menor qualificação para tal, resultando em muitos erros cometidos desnecessariamente. O número aumenta cada dia mais, e eles atuam impunemente, destruindo a chance de muitos no caminho. Eu nunca me canso de mencionar o quão importante é buscar a orientação e ajuda de um advogado de imigração licenciado nos Estados Unidos. Fazer o seu processo com um paralegal, assistente de advogado, etc. é o mesmo que permitir que um indivíduo que não é médico faça uma operação em você.

V: Desde que você começou a trabalhar diretamente com a comunidade brasileira, você deve ter percebido que o perfil dos membros dessa comunidade tem mudado bastante, principalmente dos últimos 5 anos para cá. Antigamente, as pessoas vinham para os Estados Unidos em busca de uma melhora financeira, mas com a intenção clara de voltar para o Brasil. Mas hoje, elas estão vindo com a intenção de ficar. Essa mudança tem acontecido também na maneira como essas pessoas escolhem para chegar até aqui? 

DF: Eu acredito que exista um número maior de pessoas buscando se informar a respeito das suas opções antes de virem para cá, o que é bom porque na maioria das vezes a opção que a pessoa pensava ter na verdade não se aplica no caso dela. Ter uma consulta com um advogado de imigração ajuda a pessoa a entender a realidade imigratória nos Estados Unidos e permite que ela se prepare melhor antes de largar tudo para trás, e até mesmo decidir se vale à pena vir. Mas ainda vemos pessoas entrando aqui sem nenhum planejamento e sem pensar nas consequências, e sofrendo grandemente por isso, pois o país não é mais tão acolhedor quanto antes.

V:  Os Vistos de trabalho, como por exemplo o EB-3, sempre existiram, assim como outras opções de vistos e oportunidades para as pessoas que querem vir legalmente para os Estados Unidos. Você acha que falta, no Brasil, mais informação sobre esse assunto? E de onde deveria vir essas informações?

DF: A obrigação é do próprio indivíduo em fazer o seu dever de casa. Atualmente, não há mais desculpas para a falta de informação. Porém, é importante ter cuidado em não acreditar em tudo que se ouve e lê na internet. Busque informações de advogados qualificados e licenciados nos Estados Unidos. Há muitos blogs e informações trocadas entre pessoas leigas baseadas em experiência própria, porém embora essas informações possam ser de certa ajuda elas não substituem a experiência de um profissional da área e a aplicação das leis aos fatos específicos de cada pessoa.

V: Que conselho você daria para as famílias com status ilegal que hoje não se encaixam em nenhuma lei de imigração?

DF: É sempre válido consultar um advogado de imigração para ter certeza que realmente não há nada que possa ser feito no caso da pessoa. Às vezes acontece de conseguirmos desvendar uma possibilidade de legalização que a pessoa desconhece ter. Mas se isso já foi feito e realmente não há nada disponível para a pessoa no momento, minha sugestão é a de não perder as esperanças, se manter atento a possíveis mudanças e confirmar qualquer possibilidade com um advogado qualificado, e, principalmente, evitar atividades de risco que possam colocar a pessoa no radar das autoridades.

V: Para finalizar, eu queria agradecer imensamente pela dedicação e amor pelo qual você trabalha com o nosso povo. Eu conheço o sentimento de confiança dessas pessoas ao olharem para você como uma brasileira antes de tudo. Elas sabem que o seu coração vai doer por elas e que não é tudo sobre dinheiro, sabem que você realmente se importa com elas e isso não tem preço. A essas pessoas, que você já teve a oportunidade de ajudar, você gostaria de deixar uma mensagem?

DF: Eu agradeço imensamente pela confiança que os nossos clientes colocam no nosso trabalho. O nível de confiança e respeito que recebemos por parte dos nossos clientes e da comunidade é o melhor prêmio que podemos receber, e nos dá a certeza de que estamos no caminho certo. O nosso objetivo é proporcionar um ambiente confortável onde as pessoas se sintam à vontade para conversarem sobre a sua situação imigratória sem julgamento e tenham as suas dúvidas sanadas. Nós não aceitamos um caso se não achamos que há uma solução para o problema do cliente, e sempre discutimos o nosso plano de ação e suas expectativas. Continuaremos oferecendo o nosso melhor. Muito obrigada, de coração!

Related posts