Conheça Rosa Berardo: fotógrafa, professora, jornalista, roteirista, produtora e cineasta brasileira

Olá tudo bem? Em primeiro lugar agradecemos por aceitar o nosso convite para participar dessa entrevista, nós realmente apreciamos o seu trabalho, mas antes de mais nada, gostaríamos que a nossa comunidade soubesse um pouco mais sobre você, afinal, quem é Rosa Berardo?

Quem quiser ver um pouco da minha biografia pode consultar esse link na wikipedia:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Rosa_Berardo

Eu sou professora Associada 4 da Universidade Federal de Goiás, onde dou aulas há 25 anos. Também sou fotografa e cineasta. 

Como o interesse pela fotografia e o cinema começou? 

Eu estava na Universidade ainda, em 1983, quando estudava jornalismo na Universidade Federal de Goiás. Sempre que tínhamos que fazer algum trabalho com fotos eu ficava muito entusiasmada e percebi que as imagens me fascinavam. Então eu passei a me dedicar a fotografia, fazer cursos extras fora da universidade  e realmente defini minha área de trabalho.

Logo que terminei a graduação de jornalismo eu fui fazer mestrado em cinema na Universidade de São Paulo e aí gostei tanto dos estudos na área de filmes que fiz o doutorado na Franca, em cinema e depois o pós-doutorado no Canadá.

Como você define o seu trabalho?

Eu acho meu trabalho muito prazeroso, ensinar e também fazer cinema e fotografia são minhas paixões. Por esse motivo eu incentivo muito os alunos a fazerem o que gostam e se for nessa área eu apoio muito, pois isso me realiza, vê-los aprendendo e buscando um sonho.

Qual é o seu papel no mundo acadêmico?

Eu ensino as pessoas a entenderem como o cinema é feito, a decifrarem sua linguagem, assim elas ficam surpresas e felizes em ver como que as narrativas são construídas pelos movimentos de câmera, pelos enquadramentos, iluminação, cenários, e vejo que elas se apaixonam ainda mais pelas imagens em movimento.

Dou aulas na graduação e na pós-graduação e sinto-me feliz e realizada em poder compartilhar minhas experiências com os alunos .

Existe alguma mensagem que você deseja transmitir com o seu trabalho?

Sim, sempre me preocupei muito com a humanidade, no sentido dos valores humanos, como respeito ao outro, ao meio ambiente, as diferenças de cor, raça e gênero. Nossa sociedade está muito violenta e intolerante, mas eu acredito que com o cinema, através das mensagens e reflexões que são passadas através dos filmes, podemos tocar as pessoas e contribuir para uma reflexão que nos levará a repensar nossas a ações e a nos tornarmos melhores.

Em sua opinião, qual é o projeto que você já produziu que considera mais importante?

Eu gosto muito da série de filmes de animação que estou fazendo há alguns anos, são adaptações da obra da escritora Cora Coralina, esses filmes sempre trazem mensagens humanistas. Deixo aqui um link para quem quiser assistir um dos episódios. Link:

Senha – goiania10

Qual é a sua relação com o Canadá?

Eu sou professora convidada do Departamento de Cinema da Universidade de Montreal e dou aulas lá periodicamente, a cada dois anos ou uma vez por ano. 

Fiz meu pós-doutorado em cinema em Montréal, na UQAM e daí surgiram muitos contatos profissionais importantes. É um país onde pretendo passar um bom tempo após me aposentar. 

No cenário atual em relação ao cinema e as produções brasileiras, você acha que o Brasil está no caminho certo?

Sim, o Brasil nunca esteve tão bem em produção cinematográfica, em qualidade e quantidade. Os investimentos da ANCINE e  Fundo Setorial do Audiovisual tem permitido o crescimento da produção cinematográfica em todos os estados brasileiros, que é o caso de Goiás. Eu por exemplo acabo de filmar meu primeiro longa metragem, graças as Leis de Incentivo ao Audiovisual.

E a sua filha Julia Berardo, quer seguir os mesmos passos da mãe? 

Ela inevitavelmente seguiu meus passos, pois sempre me acompanhou e me acompanha nas viagens ao Canadá, nos filmes que faço e tem sido minha parceira, o que  me deixa muito feliz, pois ela e muito competente e tem a facilidade da geração jovem com as tecnologias,  então também aprendo muito com ela!

Agora um Toma Lá, Dá Cá

Um filme

Como água para chocolate.

Um livro

Cem anos de Solidão, Gabriel Garcia Marques .

Uma música

Adoro bossa nova, todas músicas de Vinícius de Morais.

Um lugar marcante

O Deserto de Sal, Salar de Uyuni, Bolívia, incrível.

Um hobby preferido

Cozinhar

Aquilo que te deixa alegre

Estar com minha família. 

E o que te deixa triste

Ver as diferenças sociais e tantas pessoas sem oportunidade de crescer na vida.

Alguma consideração final? 

Uma alegria ver Saulo exercendo a profissão fora do Brasil! Desde que o conheci como aluno na graduação, eu tive  certeza de que seria um grande profissional! 

Parabéns e muito obrigada pelo oportunidade e carinho.

Abraços a todos e muito sucesso!!