Os produtos básicos que se tornaram mercadorias de luxo com a crise na Venezuela

Em uma banca nas abarrotadas ruas de comerciantes de Petare, a maior favela da Venezuela, em Caracas, Jefferson Manzano compra 100 gramas de café moído. Cuidadosamente embalado e selado, o pacote de café é tão grande quanto um saquinho de chicletes. Manzano também compra 50 gramas de leite em pó e 20 de açúcar. Os três saquinhos cabem no seu bolso. “É para o café de domingo”, diz ele, como quem guarda o que tem de melhor para o almoço daquele dia especial da semana. À medida em que a…

Leia mais.